Varejo aponta crescimento real de 1,3% em fevereiro de 2018 na comparação anual

12/04/2018

A recuperação do comércio varejista sofreu uma desaceleração em fevereiro, mas manteve a trajetória positiva nas vendas.

Conjuntura e Comércio Varejista

A recuperação do comércio varejista sofreu uma desaceleração em fevereiro, mas manteve a trajetória positiva nas vendas. Na comparação fevereiro de 2018 contra fevereiro de 2017, a PMC (Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE) apontou crescimento real no varejo restrito de 1,3%.

Na comparação com o “mês corrente versus mês anterior”, o indicador do IBGE encerrou com variação negativa de -0,2%, já descontada a inflação,  após um crescimento de 0,8% no mês anterior.

As vendas do “varejo ampliado”, (classificação que adiciona ao varejo restrito o atacado e varejo de materiais de construção, veículos, motos, partes e peças), apontam em fevereiro na comparação anual, crescimento real de 5,2%.

Desempenho Setorial do Varejo

Das dez atividades monitoradas pelo IBGE, sete tiveram resultados positivos na comparação anual. Destaque para a atividade artigos farmacêuticos, médicos e de perfumaria, fechou com crescimento real de 4,3% no mês de fevereiro de 2018 na comparação com o mesmo período do ano anterior. É o décimo resultado positivo consecutivo, recuperando-se de um começo de ano ruim em 2017, que foi comprometido principalmente pela elevação dos preços dos produtos.

A atividade móveis e eletrodomésticos, que tiveram novamente um desempenho acima do resultado total, fechando em 3,2%, na comparação anual. Foi a décima taxa positiva consecutiva frente a fevereiro de 2017, porém a menos acentuada dentre elas.

O resultado está associado à queda de preços nos produtos eletrônicos e móveis (IPCA acumulado de 12 meses de fevereiro de 2018 para produtos eletrônicos é de -3,2% e de móveis é de -0,8%) e da queda das taxas de juros para as pessoas físicas. Segundo o Banco Central, a taxa média de juros no crédito às famílias saiu de 41,6% em fevereiro de 2017 para 33,3% em fevereiro de 2018.

Já Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, apontou alta de 2,6% na comparação janeiro de 2018 sobre janeiro de 2017. O desempenho desta atividade vem sendo beneficiado pelo crescimento da massa de rendimento real habitualmente recebida e pela deflação do preço dos alimentos em domicílio.

A atividade tecidos, vestuários e calçados, registrou em fevereiro de 2018, queda real de -5,8%, na comparação anual, primeira resultado negativo após sequência de doze taxas positiva.

Volume de vendas do comércio varejista segundo grupos de atividade

IDV

* Série com ajuste sazonal. Obs.: O comércio varejista é composto pelas atividades numeradas de 1 a 8. O comércio varejista ampliado é composto pelas atividades numeradas de 1 a 10. Fonte: IBGE. Adaptação: NE&PE/GS&MD – Gouvêa de Souza.

Filed in: Conjuntura e Comércio Varejista

Os comentários estão fechados.

Back to Top